entretenimento

Eu adoro o Netflix. Um streaming de qualidade, uma ótima diversidade de produtos e com preço bom. O problema, queridos amigos, é quando aquela série que não te deixa dormir já possui uma nova temporada e o site ainda não disponibiliza. Bate um desespero. 

tipo assim

Aí existia o Mega Filme HD, aquela contravenção nossa de cada dia, mas né. Existia. O streaming e legendas não eram lá essas coisas de estáveis, além daquelas 35 mil propagandas ocultas que te fazia parar sem querer num site de venda de órgãos. Haha 

Desolador

E quando o desespero já era tão grande que já estava cogitando voltar a época do torrent es que descubro Ororo. Deus, sabia que não me faltaria neste momento.

O ororo.tv é em streaming em HD, com possibilidade de legendas em algumas línguas, inclusive português, com uma infinidade de títulos, disponibilidade de temporadas em tempo real e parcialmente gratuito. 

Deus, obrigada.

Você entra no site e já da pra assistir sem logar, efetuando cadastro (eu logo pelo facebook), o leque de títulos aumenta. Existe um limite de tempo por dia se você não é assinante, mas apesar de dizerem ser uma hora a informação não consta oficialmente no site e eu já assisti três horas direto sem ser assinante.

Para quem é assinante existe algumas vantagens, segundo o site você pode fazer download de vídeos, tempo ilimitado para assistir e sem restrição de vídeos. O site é cobrado em euro e pode ser pago desde boleto até bankline ou mercado pago.

Mesmo convertendo no atual câmbio desfavorável ainda assim vale a pena para quem quiser assinar. Ou seja, só amor. Ah! Outra vantagem é conseguir assistir séries que passam na TV na hora que você quer sem precisar gravar. A-M-O-R.

Gostaram da dica? Já conheciam? Se gostaram, não esqueçam de compartilhar com os amigos. rs

Beijos,

Entre Marvel e DC eu fico com ambas. Gosto bastante de filmes baseados em histórias em quadrinhos e super-heróis e se você também curte o tema vai amar os lançamentos cinematográficos de 2016.

Deadpool

Deadpool  (estreou no dia 11/02)

Sinopse: Ex-militar e mercenário, Wade Wilson (Ryan Reynolds) é diagnosticado com câncer em estado terminal, porém encontra uma possibilidade de cura em uma sinistra experiência científica. Recuperado, com poderes e um incomum senso de humor, ele torna-se Deadpool e busca vingança contra o homem que destruiu sua vida.



Batman Vs Superman – A Origem da Justiça 

Batman Vs Superman – A Origem da Justiça  (estreia no dia 24/03)

Sinopse: Em Batman vs Superman: A Origem da Justiça, os dois super-heróis vão aparecer juntos na telona, sendo o Homem de Aço interpretado novamente por Henry Cavill, e o Batman vivido porBen Affleck.Temendo as ações não controladas de um super-herói quase Deus, o formidável vigilante de Gotham City assume o reverenciado papel de salvador de Metrópolis, enquanto o mundo argumenta sobre o tipo de herói que realmente precisa. E enquanto Batman e Superman estão em guerra, uma nova ameaça surge rapidamente, colocando a humanidade em um perigo que jamais imaginou.


Capitão América 3: Guerra Civil

Capitão América 3: Guerra Civil (estreia no dia 28/04)

Sinopse: Steve Rogers (Chris Evans) é o atual líder dos Vingadores, super-grupo de heróis formado por Viúva Negra (Scarlett Johansson), Feiticeira Escarlate (Elizabeth Olsen), Visão (Paul Bettany), Falcão (Anthony Mackie) e Máquina de Combate (Don Cheadle). O ataque de Ultron fez com que os políticos buscassem algum meio de controlar os super-heróis, já que seus atos afetam toda a humanidade. Tal decisão coloca o Capitão América em rota de colisão com Tony Stark (Robert Downey Jr.), o Homem de Ferro.



X-Men: Apocalipse

X-Men: Apocalipse (estreia no dia 19/05)

Sinopse: Apocalipse se passa uma década depois de Dias de um Futuro Esquecido e é uma próxima etapa na história. Desde o início da civilização, ele era adorado como um deus. Apocalipse, o primeiro e mais poderoso mutante do universo X-Men da Marvel, acumulou os poderes de muitos outros mutantes, tornando-se imortal e invencível. Ao acordar depois de milhares de anos, ele está desiludido com o mundo em que se encontra e recruta uma equipe de mutantes poderosos, incluindo um Magneto desanimado (Michael Fassbender), para purificar a humanidade e criar uma nova ordem mundial, sobre a qual ele reinará. Como o destino da Terra está na balança, Raven (Jennifer Lawrence), com a ajuda do Professor Xavier (James McAvoy) deve levar uma equipe de jovens X-Men para parar o seu maior inimigo e salvar a humanidade da destruição completa. 

Queria dizer que verei todos. rs

Beijos,

Sabe aquela série gostosa, leve, engraçada e que ainda te ensina ou ratifica umas coisas que você precisa entender sobre vida de vez em quando? Essa é Modern Family para mim. Comecei a assistir no ano passado e confesso que não vejo direto porque eu tenho dó que acabe. hahaha Vocês são apegados assim? Eu sou. 

Os personagens são ótimos. Jay Pritchett, pai de Claire e Mitchel, casou novamente com Gloria (uma colombiana com a metade de sua idade e com um filho de outro relacionamento, o Many). Claire é casada com Phil Dunphy e é a parte enérgica do relacionamento, rs, eles tem 3 filhos com fortes esteriótipos Luke (o bobo), Haley (a linda) e Alex (a inteligente). Já Mitchel é casado com Cameron Tucker que adotaram Lily uma bebê vietnamita .

1. Identificação – por mais que a formação da sua família não seja nem um pouco parecida com os Pritchett, você vai se identificar com algum deles ou com alguma situação. Não tem jeito, família é tudo igual.

2. Quebra de preconceitos – diferença de idades entre parceiros, homem sendo o lado mais romântico da relação, relação homoafetiva. Se você olha torto para alguma dessas situações, essa comédia ‘bobinha’ vai te mostrar que gente se amando é apenas gente se amando.

3. É rápidinha – suas séries são muito longas e tensas? Tá precisando de um entretenimento gostosinho no final do dia, na hora do almoço, no café da manhã? Modern Family te entrega tudo isso em apenas 22 minutos. <3

4. É engraçada, mesmo – tudo bem que eu não sou parâmetro porque gosto da série e é relativamente fácil me entreter – hahaha – mas as piadas tem aquele contexto do dia a dia, você vai se identificar com alguma história e vai ri.

5. Tem no Netflix – Tem no Netflix até a 5ª temporada, mas a série vai até a 7ª. Já sei onde assistir as demais, mas isso é conteúdo para um próximo post. <3

E tem o kit de expressões do Mitchell que roda tanto os olhos em sinal de ‘pelo amor de Deus, jura?’ que sou eu em forma de homem. hahahha


Tá esperando o que, amigue? 

Beijos,

Teve gente que implicou com os sabres de luz nas fotos de perfil do facebook, teve gente que achou que Star Wars virou modinha e fez textão (não precisa ter ciúmes, parça!rs), teve fã enlouquecido/feliz e teve gente que acha que quem gosta e quem não gosta são um bando de chatos. hahahha É muito sucesso para uma saga só! <3

Eu sou do grupo dos fãs, não cheguei a ir de cosplay – hahahha – mas, olhei para galera que estava com os olhos de ‘may the force be with you’. hahahha Esse post não terá spoilers, claro, porque odiamos quem faz isso, né? Mas eu quero ressaltar algumas pontos.

1. O filme é maravilhoso! A fotografia, os efeitos especiais e a sonoplastia são ótimas sem perder aquela essência maravilhosa da Saga. 
2. Tem a Rey que é uma coletora de ferro-velho, mas que né, não é bem assim. rs Ela é muito inspiradora, sério. Deu um orgulhinho de ter essa personagem na Saga. <3
3. Tem o Finn um stormtrooper desertor. Um personagem com um quê de cômico, importante e mais que isso vou dá spoiler. hahah
4. Tem um BB-8 um robô fofíssimo, além dos nossos já conhecidos C-3PO e R2-D2. <3
5. E tem o final, QUE FINAL! CADÊ EPISÓDIO VIII? CADÊ 2017? #SOCORRO
Tem uns acontecimentos que te faz pensar: SENHOR NÃO ESTOU ACREDITANDO NISSO, mas não posso falar nem um pouquinho, além de assistam!
E ah! Quem não assistiu toda a Saga vai entender – mesmo sem contexto – o filme. A pessoa não ficará totalmente no escuro. Mas, para quem assistiu todos os episódios notará alguns resgates de “A nova esperança”. ; ) 
Beijos,

Olá, gente bonita, 
Hoje, tem resenha de livro aqui na coluna. Bem, estou meio sem palavras pra expressar o que senti ao ler ‘Um Dia’, do escritor britânico David Nicholls. Ao longo da leitura, sorri, fiquei com raiva e também chorei. E como chorei. (risos). Nichollas tem uma escrita leve e fácil. E seu livro é incrível. Fascinante. Difícil de encontrar um termo só, pois ele conquista o leitor do início ao fim. Quer saber, leia e me ajude a defini-lo. Fechado? 🙂
‘Um Dia’ é mais que um romance, uma história de amor. Ele traz acontecimentos da vida real. Através dele, você percebi a sua vida e suas escolhas. Isso. Escolhas. David te faz perceber a importância e consequências de cada escolha na sua vida. E o mais legal, é tanta intimidade e tanta sinceridade que rola entre os personagens que não tem como você não se envolver. 
Adquiri o livro em 2012, mas na época ele não mexeu comigo. Não passei do terceiro capítulo. Sério. Mas, agora, em 2015, me deparei com ele na minha estante e pensei: pode ser que agora a gente se entenda. E nos entendemos muito bem. Devorei cada página, cada palavra. E quando precisava dar uma pausa, ficava inquieta, louca para retornar a leitura. 
O livro traz a história de Emma e Dexter, dois jovens que se ‘conhecem’ na festa de formatura da faculdade e, depois desse dia, suas vidas estão entrelaçadas de uma forma inexplicável. É emocionante e, às vezes, irritante ver a vida unindo e separando os dois. Cada capítulo traz a história do mesmo dia que os dois se conheceram – 15 de julho -, sendo que em anos diferentes. Vida que segue. Mas parece que a gente está acompanhado cada dia da vida deles. 
Dexter é um idiota, por diversas vezes, mas com o passar dos anos e com ajuda de Emma, ele irá se transformar num cara legal. E é tão bom ver a Emma conquistando os seus sonhos, crescendo e ganhando o seu espaço. Ela é uma guerreira. E eles são prova de que o amor verdadeiro pode estar ao seu lado e vivido, pode se passar anos, mas quando é pra ser, só uma tragédia pra impedir. Forte, né?
Não vou ser spoiler, mas preciso dizer que o final me surpreendeu. Eu fiquei em choque. Paralisada. Li, reli. Li mais uma vez. Não acreditei no que estava escrito. E depois do acontecimento que muda a trama, finalizei o livro rapidamente, pois eu não acreditei e ainda não consigo acreditar no rumo da história. Sério. Não espere por um final feliz, apenas isso. Você passará o livro INTEIRO esperando para que Em e Dex fiquem juntos e quando isso finalmente acontece, algo vem e interfere. Mas faz parte, né? Não temos o controle de tudo. 
Pra quem se interessou, mas prefere assistir filme, sem problemas. ‘Um Dia’ também ganhou as telonas em 2011 e você consegue baixá-lo facilmente. Tem Anne Hathaway e Jim Sturgess como os protagonistas e cenas gravadas na Escócia, na França e em Londres. E é bem fiel ao livro, viu? Pode conferir. 
Sinopse:

Dexter Mayhew e Emma Morley se conheceram em 1988. Ambos sabem que no dia seguinte, após a formatura na universidade, deverão trilhar caminhos diferentes. Mas, depois de apenas um dia juntos, não conseguem parar de pensar um no outro.
Os anos se passam e Dex e Em levam vidas isoladas — vidas muito diferentes daquelas que eles sonhavam ter. Porém, incapazes de esquecer o sentimento muito especial que os arrebatou naquela primeira noite, surge uma extraordinária relação entre os dois.

Ao longo dos vinte anos seguintes, flashes do relacionamento deles são narrados, um por ano, todos no mesmo dia: 15 de julho. Dexter e Emma enfrentam disputas e brigas, esperanças e oportunidades perdidas, risos e lágrimas. E, conforme o verdadeiro significado desse dia crucial é desvendado, eles precisam acertar contas com a essência do amor e da própria vida.

Um dia é um fenômeno editorial no Reino Unido, sucesso absoluto de crítica e público, e teve o roteiro adaptado para o cinema pelo próprio autor, David Nicholls. O filme, dirigido pela cineasta dinamarquesa Lone Scherfig, que também dirigiu Educação, traz a atriz Anne Hathaway no papel de Emma Morley.
Espero que gostem! Boa leitura. 
Beijos,

Desenvolvida por Howard Gordon e Alex Gansa a série de TV americana Homeland é uma dessas séries de suspense/drama que te prende e te faz fazer maratona em pleno final de semana de sol. 
Uma das personagens principais é a Carrie Mathison (Claire Danes), uma agente da CIA competente, brilhante e apaixonada pelo que faz. Já serviu nas guerras do Afeganistão e do Iraque e sua principal função é aliciar pessoas do lado inimigo e fazer com que se torne informantes. 
Em uma dessas missões e tentativas de trazer informantes, Carrie recebe a informação que um dos combatentes americanos foi convertido ao islã e a Al-qaeda. Informação que coincide com a volta triunfal do fuzileiro Naval Nicholas Brody (Damian Lewis) depois de anos sequestrado, o que acaba transformando-o em um herói de guerra. 
A partir daí começa uma corrida e suspense em torno da volta de Brody, investigado incessantemente por Carrie. Sua obsessão em torno do tema e seu transtorno psiquiátrico coloca em dúvida o tempo todo – inclusive pra ela – o que pode ser real e o que pode ser fantasia.
A série possui 4 temporadas até agora. Assisti as duas primeiras temporadas no Netflix, as demais assisti no site Mega Filmes que tem todas as temporadas da série. 
A próxima temporada já foi confirmada e tem previsão de estreia para Outubro e estou ansiosíssima.
beijos,

Olá, gente bonita, 
Semana começando e eu venho com mais uma dica bacana pra você. Depois que li ‘A Culpa é das Estralas’, de John Green, comprei outras obras do autor, mas acabei deixado-as na estante para mergulhar em outras aventuras. Porém, como o filme ‘Cidades de Papel‘, baseado no livro homônimo do escritor, está em cartaz nos cinemas, não resisti, embarquei no romance. 
Bem, devorei o livro em poucos dias. E assumo, se eu tivesse um dia livre, teria lido tudo de uma vez só. Sério! É um livro pra ler de uma única sentada, como diria o meu querido amigo, jornalista e escritor Júlio Ludemir. A história é boa e te prende. E John tem uma escrita leve e fácil. E mais uma vez o autor traz uma mensagem reflexiva sobre a vida, o que me agrada bastante. 
Ontem, fui conferir a adaptação do livro para as telonas, acompanhada do meu namorado e da minha cunhada. Eles não leram o livro, o que me ajuda a formar uma opinião sobre o longa. A Laise gostou muito do filme, porém não curtiu o final, porém expliquei a ela que tinha que ser da maneira que foi, devido a mensagem que a trama quer passar. Ela compreendeu. O Felipe quase me matou. (risos). Achou muito infantil. Até concordei com ele. Não curti muito a escolha dos atores, imaginava eles de forma diferente, menos crianças. Só o Q que não estranhei tanto. Isso me desagradou muito. 
Em relação a adaptação, fiz várias caras e bocas ao longo do filme, pois diferente de ‘a Culpa é das Estrelas’, o filme não é tão fiel ao livro. Eles cortaram e incluíram várias coisas. Senti certo estranhamento e também senti que a briga da Margo com sua melhor amiga Lacey Pemberton não foi esclarecida. Lacey embarca à procura da amiga, retorna sem falar com ela e fica por isso mesmo. Oi? 
Outra coisa que não gostei: no livro, a gente entende quem é Margo e o porquê de suas atitudes, diferente do longa. Ah, a aventura de encontrá-la é bem mais interessante nas páginas do que na telona. Bem mais, viu? Ouvi algumas pessoas falando que gostaram mais do Q no filme, que ele ficou mais engraçado, porém eu achei ele mais idiota no filme. Não ficou muito claro os motivos que ele tinha para fazer de tudo para encontrar o seu grande amor, mesmo que platônico. 
O legal dessa história é que em alguma parte você irá se identificar, e isso é possível tanto no livro quanto no filme, e você passará a olhar a vida e as pessoas de uma forma diferente. Ou tentará se esforçar para isso! Pelo menos, isso aconteceu comigo. E a risada também é garantida! O que é muito bom, né? 
Segue sinopse: 

Quentin Jacobsen tem uma paixão platônica pela magnífica vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman. Até que em um cinco de maio que poderia ter sido outro dia qualquer, ela invade sua vida pela janela de seu quarto, com a cara pintada e vestida de ninja, convocando-o a fazer parte de um engenhoso plano de vingança. E ele, é claro, aceita. 

Assim que a noite de aventuras acaba e um novo dia se inicia, Q vai para a escola e então descobre que o paradeiro da sempre enigmática Margo é agora um mistério. No entanto, ele logo encontra pistas e começa a segui-las. Impelido em direção a um caminho tortuoso, quanto mais Q se aproxima de Margo, mais se distancia da imagem da garota que ele achava que conhecia.
Por hoje é só! Até mais. 
Beijos ;*

Com Hélio de La Peña na edição da Flip Flupp do ano passado

Olá! Tá chateado porque não foi à Flip em Paraty? Pode colocar um sorriso no rosto, então, pois eu tenho uma ótima notícia pra você. Alguns dos autores que estiveram por lá, vão marcar presença, nesta quarta e quinta-feira, no Teatro Raul Cortez, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. O evento faz parte do encontro entre as festas literárias Flip-Flupp, que acontece desde 2012, quando teve a primeira edição da Festa Literária das Comunidades (Flupp). E sabe o que é melhor? O evento é gratuito. 🙂

Se liga na programação:
Na quarta-feira (08), a mesa formada pela escritora portuguesa Alexandra Lucas Coelho e pelo cubano Leonardo Padura abrirá o Encontro, às 14h, com o tema “Quando olho para o outro descubro mais sobre mim”. Em seguida, o Israelita Waldman e o queniano Ngugi wa Thiong’o vão debater sobre o tema “Tão distante e tão perto”.
Na quinta-feira (09), o tema “Uma Cassetada na mesmice” vai reunir os ex-integrantes do programa Casseta e Planeta, Hélio de La Peña e Marcelo Madureira, a partir das 14h. Para fechar o dia, os escritores Bruno Duarte e Ramon Mello vão falar sobre o tema “Mesmo que seja eu”.
O evento terá ainda as participações especiais de Sarau Caminho do Poeta; Coletivo MultiArte; Poesia de Mesa; Bruno Max e Caixa Forte; Jessé Cabral/Teatro Sol sem Dó; Matheus Carvalho; Sarau Donana; Heraldo HB; Terreiro de Ideias e Virtú.
Eu sou fluppenseira e só tenho uma coisa pra falar pra você: Vá! Você não vai se arrepender. 

O Teatro Raul Cortez fica na Praça do Pacificador s/n, Centro. 
Até a próxima! 
Beijos,