na cozinha

Na última terça, 6, inaugurou em Nova Iguaçu a cervejaria artesanal Fritz uma das mais antigas micro cervejarias do Brasil com mais de duas décadas de histórias. Esta tradição teve início em 1993, nascida da paixão do mestre cervejeiro Jörg Franz Schwabe que elaborava artesanalmente cervejas para compartilhar com familiares e amigos. Hoje a rede conta com mais de 20 restaurantes em todo o país, número que vem crescendo mês a mês, segundo dados coletados no site da marca.

Fui até lá a convite da minha amiga e blogueira e youtuber Buh Caixeiro e gravei um vlog mostrando tudo, do que tem até os preços.

Para assistir, clique aqui ou assista no player abaixo:

Se ainda não for inscrito, se inscreva no canal! 😀

Beijos,

 

MAYARA BARBOSA

Eu sou born and raised – nascida e criada, desculpa adoro essa expressão e vi uma oportunidade em usá-la hahaha – no meio festivo. Comia cola e glitter do atelier do meu tio quando era bebê e isso explica muita coisa, não é mesmo?rs Hoje em dia minha mãe tem uma empresa de decoração com bolas e eu trabalho com ela, ou seja, eu amo e vivo de festas. E se você é meu amigo vai entender que toda vez que enxergo a oportunidade de fazer uma festa, eu faço. Tudo isso pra dizer que semana passada foi aniversário do meu namorado e ele não queria fazer nada e eu como todos os anos ignorei solenemente. Quando ele viu estava eu de mala, cuia e cupcakes com essa mesa que achei gracinha e resolvi compartilhar como tudo se deu para te inspirar a um ‘faça você mesma’ por aí.

Para começar você precisa definir o estilo da festa, eu queria algo simples, rústico, mas bonito. Definir as cores entre madeira, azul e cinza/prata e tudo funcionou em torno disso.

O bom da estética atual da decoração é que as coisas precisam ser coordenadas, mas não combinadinhas. Uma das bandejas é de bambu e a outra é um caixote pequeno de feira. Os porta pirulitos são castiçais da sala da minha casa, rs. E o fundo eu decorei com plantas e suculentas que encontrei pela casa dos avós dele.

Eu quem fiz todos os doces, menos o bolo. E com uma certa organização da pra fazer tudo direitinho sem enlouquecer, rs. Compre os materiais com mais antecedência que conseguir, e imagine como quer a mesa mesmo que vá mudando algumas coisas na hora.

Acho que o resultado final foi satisfatório e vocês? Gostaram?

Beijos,

Por tudo que tenho lido e estudado a cada dia tenho mais certeza que o melhor estilo de alimentação (não gosto da palavra dieta) é o Low Carb. Que simplificando mais ainda do que ele é, é procurar se alimentar com comida de verdade (nada de saquinhos, biscoitinhos) e diminuir o consumo de carboidratos principalmente os industrializados.

A verdade é que se formos fazer uma análise do que a gente come, inclusive quando estamos tentando nos alimentar bem está longe do saudável, mesmo que no PACOTE (opa, já começou mal) esteja escrito fit, zero açúcar, zero lactose etc.

A ideia é que nos próximos 10 dias tenha como base na alimentação vegetais e proteínas, com permissão de iogurte, castanhas e frutas com moderação, mas sem pacotes. Sei que vai ser difícil, massssss não impossível!

Tudo isso vai ser uma experimentação, e se você quiser participar desta AVENTURA (hahaha) me segue no snapchat (beautythings), e no instagram (@may_barbosa).

E pra quem quer entender um pouco mais sobre o termo, aconselho a leitura dos muitos artigos encontrados aqui.

Beijos,

Provando a diversidade do blog, da blogueira e dessa seção hoje vou contar para vocês como eu faço pipoca doce sem pipoqueira, apenas algumas semanas depois de comentar sobre os malefícios do açúcar, dos conservantes, enfim, dos industrializados no geral. hahaha

Postei uma foto no instagram dia desses e uma pessoa me perguntou como eu fazia, talvez seja uma dúvida de mais pessoas, então vou explicar.

Receita:
5 colheres de sopa de milho de pipoca
5 colheres de óleo ( côco, milho, canola, e até soja se só tiver ele rs)
3 colheres de açúcar
1 colher rasa de Nescau
Canela em pó a gosto

Modo de fazer:
Prepare a pipoca normalmente apenas com óleo numa panela grande e de alumínio ou teflon, assim que o milho parar de estourar acrescente a mistura de açúcar, Nescau e canela e comece a mexer sem parar. Se perceber que o açúcar está demorando a “melar”, ligue o fogo bem baixinho.
Obs.: é importante não parar de mexer até que tudo esteja derretido, e que tenha espaço na panela para mexer.

Gostaram? Consumam com moderação. Hahaha
Beijos,

Você já parou pra ler o rótulo daquele iogurte light que toma todo dia? Ou aquele ‘suco’ de caixinha que você jura ser melhor que refrigerante? Não? Deveria. Passei muito tempo consumindo produtos que jurava que era ‘menos pior’ do que os já conhecidos como prejudiciais a saúde, até que adquiri o hábito de ler rótulos, e entender (mesmo que superficialmente) o que quer dizer cada item. Hoje eu vou contar o pouco – e útil – que aprendi para vocês para a gente parar de consumir gato por lebre.

Tenho AGONIA quando escuto alguém dizendo, por exemplo, que um biscoito light ou integral é mais saudável que um biscoito normal. A palavra saudável definitivamente não se encaixa em um produto industrializado com muitos conservantes, corantes e estabilizantes sendo light ou não. rs Não confunda o menos calórico com o mais saudável. 

Ordem de ingredientes

Quando você for ler o rótulo saiba que a ordem em que os ingredientes são listados significa a maior concentração dele na fórmula. Ou seja, o primeiro item é o mais presente na fórmula e o último o menos presente. Se já começa com açúcar ou qualquer outro componente que você não sabe nem do que se trata, melhor reconsiderar né? Eu gosto de saber o que estou comendo.

O iogurte é iogurte mesmo?

Sabe aqueles ‘iogurtes’ com sabor? Os que a gente toma desde criança? Ou os lights, gregos etc? Pois bem, a maioria deles são bebidas lácteas. Geralmente, com muito açúcar, amido, corantes etc na fórmula. Nada saudável. Iogurte mesmo tem pouquíssimos ingredientes, geralmente são leite e fermento lácteo. Não gosta da falta de sabor? Nem eu. Geralmente, preparo em casa um iogurte integral com banana ou morango. Fica ótimo!

Suco de caixinha não é suco 

Sabe aquele suco super prático que você toma todo dia e se sente super saudável com esse hábito? Minha amiga, se nem suco natural ‘a vontade’ é aconselhável por nutricionistas, imagina refrescos industrializados. Vai agora na sua despensa e leia o rótulo, agora pense a quantidade de porcaria e o baixíssimo valor nutricional que a bebida tem. Viu? Triste.

Tudo isso é o básico para gente entender que pensar o que se põe no prato é muito importante para nossa saúde. Ter consciência do que se come é primordial para um bom funcionamento do nosso corpo. Não sou nutricionista, mas para ter acesso a boas fontes de informação basta ter um pouquinho de curiosidade. Ainda como nutella, cheetos, iogurte com sabor etc? Como. Com qual frequência? A mínima possível.

Espero ter ajudado alguém e dependendo da aceitação de vocês faço mais posts no estilo.

Beijos,

Oi gente, antes de mais nada quero dizer que a programação normal do blog (posts de segunda a sexta) estão de volta essa semana. Vou recompensar vocês com muitos posts legais, combinado? Combinado. rs O post de hoje é um receita de bolo de caneca que fica pronto em menos de dois minutos e pode ser uma opção para quem não consome glúten por condição ou opção.

Ingredientes: 
  • 1 banana amassada 
  • 2 colheres de sopa de farinha de castanha do pará
  • 1 colher de sopa de manteiga 
  • 1 colher de sopa de açúcar mascavo 
  • 1 ovo
  • 1 colher de chá de fermento químico 
  • Canela a gosto

Dá para aumentar a imagem, viu gente? E salvar aí com você para fazer quando quiser. : ) E ah! Você pode trocar a farinha de castanha do pará por a de amêndoas ou até farinha de aveia. No lugar do mascavo dá pra usar adoçante também. 
Beijos,

Foto: Reprodução/Blog da Thássia

Eu pensei em fazer um post tradicional de sugestões de presentes para a Páscoa, daqueles tradicionais com link da loja etc, mas preferi reunir vídeos de outros produtores de conteúdo que testaram ovos (pra você não cair em nenhuma cilada), fizeram DIY fofinho para você presentear de maneira diferente e gente que colocou a mão na massa e fez seu próprio ovo. Curti tanto esses posts que achei interessante dividir a dica com vocês. 

Sabrina do Coisas de Diva fez o FAVOR de comprar os ovos mais badalados de diversas marcas e testar todos para gente nesse vídeo. Uma resenha das mais gostosas!

Achei esse vídeo bem fofo da Priscila Paes do Passando Blush rondando o Youtube. Se não conseguir fazer o potinho fofo, a ideia de comprar uma caixinha e colocar bombons sortidos é sempre válida e mais barata.


Dani Noce fez um vídeo ensinando como fazer um ovo de colher com recheio de bolo e brigadeiro. Fazer dá mais trabalho que comprar, claro, mas se você gosta de cozinhar, pode ser uma boa opção para presentear.


E ai, gostaram? Eu tô pensando em fazer um ovo de colher. hahaha

Beijos,